AGCO do Brasil: Projeto Pescar

Projeto Pescar é uma das práticas de responsabilidade social da AGCO que mais emociona funcionários, voluntários, gestores e parceiros da empresa. A missão é valiosa: proporcionar o desenvolvimento profissional e pessoal para jovens em vulnerabilidade social. Missão que inspira a sermos pessoas, quando se envolvem com as histórias de vida destes jovens, e quando crescem junto com eles.

Desde a implantação do Projeto Pescar na planta da AGCO Santa Rosa, em 2003, o projeto foi expandido em 2006 à Unidade de Canoas e, em março de 2009, à Unidade de Mogi das Cruzes. Em 2011 foi inaugurada a Unidade Projeto Pescar AGCO Ibirubá. Atualmente, em cada planta industrial, são atendidos 15 jovens por ano no curso Iniciação Profissional em Produção Mecânica, com duração de 11 meses e contratação pela Lei 10.097/00 - Jovem Aprendiz. Desde o início do Projeto até o final de 2013 teremos atendido 382 jovens, com idades entre 17 a 19 anos, oriundos de famílias menos favorecidas.

Os resultados positivos dessa prática podem ser comprovados pelo índice de empregabilidade que ultrapassa os 95%, tanto na absorção pela própria AGCO, como pela parceria com fornecedores e demais interessados em nossos jovens. Hoje contamos com 23 jovens empregados em Santa Rosa, 20 em Canoas, 17 em Mogi das Cruzes e 9 em Ibirubá.

A cada ano, a imagem da AGCO como empresa formadora de jovens profissionais se fortalece, tendo em vista o alto número de solicitações de currículos dos aprendizes, antes mesmo de terminarem o curso. Essa imagem vem da seriedade com que a proposta educacional é desenvolvida dentro do espaço fabril como, por exemplo, a abertura de vivências práticas que permitem ao jovem confirmar e ampliar o conhecimento adquirido nas aulas teóricas em ambiente real de trabalho.

Dentro do conceito de Iniciação Profissional do curso, o perfil desejado para o aprendiz vai além do domínio operacional, almeja um jovem com compreensão global do processo de trabalho, capaz de transitar com desenvoltura em diferentes áreas profissionais. Esse aspecto é que permite ao jovem a manutenção do emprego e não só a assinatura do contrato de trabalho.

Outro fator responsável pelo sucesso do Projeto é a disponibilidade da AGCO em estimular a participação voluntária de seus funcionários na realização das aulas. Em Santa Rosa temos a participação de 39 voluntários internos e 4 voluntários externos, em Canoas dispomos de um quadro de 54 internos e 10 voluntários externos, em Mogi das Cruzes, contamos com 30 internos e 08 voluntários externos e, em Ibirubá, já contamos com 18 voluntários desde o processo inicial de implantação.

 



Outras Notícias